DestaquesNoticias

NOTA DE REPÚDIO: SINDASP-PE denuncia atraso no pagamento das cotas de PJES dos agentes penitenciários

O Sindicato oficiou a Secretaria para que regularize o pagamento das cotas devidas

O Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores (SINDASP/PE) denuncia que a Secretaria Executiva de Ressocialização (SERES) está constantemente atrasando as cotas do Programa de Jornada Extra (PJES) dos agentes penitenciários durante vários meses seguidos.

Infelizmente, ficam sendo colocados desculpas contínuas que foi alterado o cronograma de pagamento do Governo do Estado para 3 ª semana do mês. Porém, esta sendo constatado que não é uma realidade que se apresenta.

Observou-se que o mesmo Programa de Jornada Extra -PJES, onde Policiais Militares e Policiais Civis também realizam estão sendo pagos dentro da plena regularidade e normalidade. Enquanto, para os Agentes Penitenciários chegam a ser atrasados mais de 15 (quinze) dias em vários momentos. Não existe justificativa para este fato, pois trata-se de um programa de mesma natureza e do mesmo decreto regulamentado.

Este tratamento diferenciado, levou para que a partir do próximo mês seja feito a campanha de entrega do PJES para não realização de tais serviços, com intuito de valorização e respeito por uma categoria que trabalha com afinco e responsabilidade nos serviços. Esta entrega de PJES afetará diretamente em serviços como apresentações judiciais e custódias.

A categoria solicita respeito e que seja tratada com igualdade perante outros que realizam os serviços assemelhados e que fazem parte da Segurança Pública do Estado.

 É sabido que o número de agentes é vergonhoso em Pernambuco e que, por conta dessa deficiência, esses poucos servidores vendem seu horário de descanso para suprir a necessidade do estado. Infelizmente, eles não recebem o devido respeito do governo e dos gestores da SERES e SEFAZ, que insistentemente atrasam o pagamento desses valores, trazendo insatisfação àqueles que exercem o cargo. Vale frisar que para os demais cargos da Segurança Pública, como os Policiais Militares e Policiais Civis as cotas são pagas na data acordada.

“O que nos deixa intrigados é que os demais servidores da segurança pública estão recebendo os valores trabalhados na forma de cotas extras, mas deveriam ser remunerados por horas extraordinárias. Além disso, alguns descompromissados, por falha na gestão, não pagam essas cotas no período acordado”, afirmou João Carvalho, presidente da SINDASP/PE.

Diante dessa situação, O Sindicato oficiou a Secretaria para que regularize o pagamento das cotas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar